AS TRÊS VOZES QUE IMPEDEM O SUCESSO.

Sempre que pensamos em sucesso, pensamos em atitude que devemos ter para alcançar o sucesso ou a realização pessoal.

Gosto de ensinar que sucesso não é fama e nem riqueza, mas sucesso é cumprir a missão a que foi designado. Temos uma missão que devemos cumprir, e quando sabemos qual é a nossa missão e a buscarmos com toda a dedicação e realizá-la, assim estamos caminhando atrás do nosso sucesso.

Uma missão só é bem sucedida ou só é um sucesso quando completada, mesmo que ao completá-la estejamos cansados, feridos e exaustos.

Mas como fica então a fama e a riqueza, esse dois pontos não são o mais importante e nem serão os objetos da nossa busca.

Não devemos escrever um livro com o intuito de sermos famosos ou ficarmos ricos com o livro publicado, mas sim com o desejo de cumprir nossa missão, ao escrever um livro nosso primeiro desejo deve ser compartilhar as coisas que aprendemos, outro é que as pessoas que lerem sejam fortalecidas e inspiradas para a vida.

Caso nossa dedicação seja contemplada com a fama ou a riqueza, isso será apenas consequência do nosso trabalho. A verdadeira recompensa pelo esforça na missão, será das pessoas inspiradas e fortalecidas.

Imagine seu filho, quando decidimos ter um filho, qual é nossa motivação? Que ele nos traga fama ou riquezas? Ou que ele nos traga satisfação? Certamente todos responderemos que temos filhos pela alegria que nos trazem e não pelas coisas que nos podem trazer.

Definido então o que é sucesso quais seriam as vozes que podem impedir de alcançá-lo?

Para qualquer área da nossa vida sempre vamos nos deparar com essas vozes: a voz do interior, a voz exterior e a voz das circunstâncias.

A VOZ DO INTERIOR

Nosso primeiro grande inimigo e mais feroz é a voz do nosso interior, nosso maior adversário é a voz da razão, da racionalização a voz que mede nossas intenções e indica as possibilidades das falhas e erros.

Talvez você esteja perguntando que voz é essa, eu te responde é essa mesmo que está falando enquanto você lê.

Devemos sempre mantê-la ativa, ela é como o contrapeso, balança sempre ao contrário do nosso movimento instintivo, ela deve sempre ser respeitada.

Certamente todos já nos livramos de muitas situações ruins por dar atenção a essa voz. Sim dar a devida atenção é muito importante, mas ela pode ser prejudicial se estivermos com complexos e baixa estima.

E como todas as pessoas do mundo possuem esses fatores de desequilíbrio, por que ninguém é totalmente saudável emocionalmente, começamos a dar um super atenção a essa voz.

Começamos a deixar que ela tome conta da nossa vida, precisamos sempre ponderar e ver os balanços das nossas decisões.

Uma pessoa que sempre é dirigido pela voz interior apesar de aparentemente parecer lúcida e ponderada, pode estar sofrendo de improdutividade, essa pessoa passa a agir com medo.

A voz interior decifra todas as coisas em oito ou oitenta, ela vai nos levar a uma vida de regras secas, um trajeto sem riscos, uma vida de tanta segurança que certamente não teremos grandes realizações.

Todos os inventores e grandes realizadores souberam enfrentá-las, souberam agir com equilíbrio entre ouvir seus conselhos e ponderá-los antes de qualquer prática. Devemos desafiar a voz interior e ousar um pouco mais.

Existe uma linha muito fina entre medo e prudência; medo te trava, prudência faz com que caminhe com passos seguros. Se você está travado em alguma área de sua vida por estar ouvindo a voz interior então você está com medo.

Liberte-se do medo e viva com prudência.

Para vencermos a voz interior precisamos, ter uma visão específica do que queremos; entender a nossa missão e sempre verbalizarmos o que queremos e qual é nossa missão, como que fosse um ato de auto-convencimento. Os pensamentos realizador sempre são confrontados pela voz interior, assim devemos dar a ela um dose de informação externa, passaremos a pensar no que estamos dizendo.

A VOZ EXTERIOR

Vencida a voz do interior devemos enfrentar outra voz, a do exterior.

Essa voz é mais fácil de ser percebida, ela vêm de amigos, familiares, pessoas que nos amam ou de pessoas que não nos amam.

Vencido a voz interior passamos a ter auto confiança, a acreditar em nós mesmos, passamos a ser mais arrojados, decididos, a arriscar mais e principalmente, passamos a aprender mais, aprendemos com os acertos e muito mais com os erros.

Mas quando começamos a praticar nossos planos e buscar a realização da nossa missão, vamos nos deparar com a voz exterior.

Você já reparou que normalmente as pessoas estão mais prontas para nos manter para baixo do que para nos levantar? Que existem mais pessoas para desanimar do que para animar? Que sempre tem mais gente para furar nosso balão do que para inflá-lo? Por que será?

A resposta é que a maioria das pessoas são dirigidas por sua voz interior, da baixa realização e sempre que alguém ousa flutuar um pouco mais alto que o dito “normal” essa atitude incomoda.

Não entenda que as pessoas nos querem mal, na verdade elas nos querem bem, só que esse excesso de prudência mata a criatividade e a realização.

Devemos sempre ouvir os conselhos dos que estão próximos de nós, as experiências dos que passaram pelos caminhos que queremos passar, mas ouvir não significa agir conforme esses conselhos; devemos sempre tomar nossas próprias decisões, ter as nossas experiências.

Como pais, não queremos que nossos filhos sofram o que sofremos, assim geramos uma redoma de proteção e os impedimos de terem desprazeres, dores e sofrimentos. Eles crescem sem anticorpos sociais, não sabem decifrar os caminhos da vida, não sabem medir as consequências, assim uns sempre quebram a cara depois de adulto e outros nunca realizam nada.

Você já reparou que nos vídeos postados na internet de acidentes engraçado, (ou nem tanto), sempre tem um idoso que tenta fazer algo que aparentemente não têm habilidade para fazer, como subir em uma mesa para dançar? Ele sempre cai e feio, provavelmente quando criança nunca deixaram que subisse na mesa para dançar, assim sem experiências anterior e tomado pela embriaguez do momento quer fazer o que nunca fez e se dá mal, isso é ruim. Pior ainda mesmo, é situação dos outros idosos que nunca subiram na velhice e nunca subiram na juventude e nem tem nenhuma experiência de como seria aquela sensação.

Sempre que impedimos os pequenos de terem suas experiências, roubamos momentos de suas vidas, somos feitos de acertos e erros, nossas experiências são amadurecidas assim.

A voz externa está ai e sempre estará tentando roubar suas experiência, dizendo cuidado você pode errar, você pode cair. Vá enfrente, erre, caia, aprenda, viva, tenha sua própria experiência e depois se der errado, ria dos seus próprios erros, isso lhe fará bem e te fortalecerá.

“Liberte-se da vida chata de ter passado pela vida e não tê-la vivido.”

A VOZ DAS CIRCUNSTÂNCIA

Vencido a voz interior e superado a voz exterior, devemos desafiar a voz da circunstância.

As situações aparente os momentos adversos sempre falam alto em nossos ouvidos da emoção.

Acreditar em si mesmo é o maior passo que devemos dar, vencer as criticas e comentários é um diferencial, mas como fazer isso se as circunstâncias estão adversas? Acreditar que algo pode dar certo quando tudo está ao contrário é muito difícil.

Imagine um velejador preparando seu barco para tirá-lo do cais vendo no horizonte uma tempestade se formando. Nessa hora muitos recolhem a vela, mas a pessoa bem sucedida vence a voz interior, vence a voz exterior, vence a voz da circunstância e desamarra a corda que prende sua embarcação e vai atrás da sua experiência.

Imagine se todos os inventores tivessem desistido! Você não estaria lendo esse artigo agora.

Precisamos ler as circunstâncias, ponderar se devemos ou não, desamarrar os nós do medo com prudência e navegar para onde é nosso alvo, nossa visão, nossa missão.

Essa foi e têm sido minha experiência.

Oficializei minha empresa no início da crise de 2008, cortei os nós que me prendia a um emprego estável e naveguei por águas turvas. Escrevi meu segundo post 12 de Dezembro de 2008 com esse tema PONTES SOBRE AS ÁGUAS AGITADAS, e em Janeiro de 2009 escrevi 2009 TERRA EM QUE CUIDA O SENHOR, quando decidi caminhar em direção do meu sonho, do meu propósito e da minha missão, pontes foram colocadas sobre as águas, e os vales e montes foram nivelados.

As circunstâncias são um forte agravante para fazer você parar, mas isso não pode te impedir.

Meu conselho não é que você seja um desvairado, inconsequente, que não deva ponderar a voz interna, a voz externa ou a voz da circunstância. Meu conselho é que você enfrente o medo, a insegurança e busque realizar e realizar-se.

Mas como saber se o que quero deve ser perseguido ou não, se devo ou não ouvir e dar atenção as vozes e saber que devo enfrentá-las ou ponderá-las.

Para isso basta passar seus sentimentos de realização pelo crivo frutífero da vida. O crivo frutífero da vida é; o que é bom deve ser semeado o que é ruim retirado. Pare e pense, o que quer fazer é bom para você, será bom para sua família e será de validade para a humanidade? Então vá enfrente, esse sonho veio do coração de Deus e tem tudo para dar certo, sua parte é só persistir e lutar.

O crivo frutífero da vida é o Amor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s